Bombeiros começam testes com drones para salvamento aquático em Itajaí

As praias de Itajaí têm neste verão o reforço da tecnologia para os salvamentos aquáticos. Os Bombeiros experimentam, pela primeira vez em Santa Catarina, um dispositivo que, acoplado a um drone, libera uma boia em casos de afogamento.

O sistema foi desenvolvido por uma empresa de Porto Alegre (RS), e já foi testado nas praias gaúchas e cariocas no verão passado. Os Bombeiros de Santa Catarina receberam o aparelho gratuitamente, em caráter de testes.

Em Itajaí há três boias para serem usadas, que foram acopladas ao drone que o Corpo de Bombeiros já utilizava. A boia fica instalada como uma “pochete”. Quando acionada, remotamente, cai no mar e um gatilho químico, em contato com a água, libera um pequeno tubo de gás carbônico, que enche a boia.

Cabo Eduardo Bratkowski, coordenador de serviço de praias em Itajaí, disse que a boia pode ser usada novamente após o primeiro acionamento. A principal vantagem, afirma, é conseguir a aproximação da vítima rapidamente e sem que ela entre em pânico _ o que nem sempre é possível com o jet ski, por exemplo.

Como as praias da cidade são próximas, a ideia é que o drone, que tem um raio de ação de 4,5 quilômetros, possa ser utilizado em qualquer uma delas a partir de um ponto fixo. Por enquanto, ainda não houve acionamento.

Novas funcionalidades

O uso dos drones em salvamos aquáticos estimula os Bombeiros a buscar novas funcionalidades para o equipamento. Em Itajaí, a ideia conseguir um drone mais moderno do que o atual para poder acoplar uma câmera termográfica — um desejo antigo do monitoramento de praia, para resgates aquáticos noturnos. O Corpo de Bombeiros chegou a tentar licitar uma câmera fixa, que seria instalada na Praia da Atalaia, mas o processo não vingou. O drone seria uma solução mais prática, porque permite mobilidade.

Fonte: NSC Total

Comentários

comentários